Sampaio Corrêa Futebol Clube

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Sampaio Corrêa Futebol Clube
Escudo do Sampaio Corrêa.png
Brasão
Hino Sampaio Corrêa, a “Bolívia” querida
Autor: Zé da Pinga e Chico bom de Cana.
Nome Oficial Seu pau na correia Futebol Clube
Origem link={{{3}}} Maranhão - São Luís
Apelidos Bolívia Querida, Tubarão
Torcedores bolivianos
Torcidas Tubarões da Fiel
Fatos Inúteis
Mascote Tubarão
Torcedor Ilustre {{{ilustre}}}
Estádio Estádio Governador João Castelo, simplesmente conhecido como Castelão
Capacidade 63.000
Sede WC da Rua do Passeio
Presidente Um politico qurendo se eleger.
Coisas do Time
Treinador Josué Teixeira
Pior Jogador Nuvola apps core.png {{{pior}}}
Melhor Jogador Crystal Clear action bookmark.svg.png {{{melhor}}}
Patrocinador Dalcar
Time
Material Esportivo Dalponte
Liga campeonato brasileiro
Divisão Série D
Títulos {{{títulos}}}
Ranking Nacional 63° CBF e 1º FMF
Uniformes Sampaio correa uniforme.png
Uniforme01.jpg



Cquote1.png Eu sou o dono Cquote2.png
Sarney sobre Sampaio Corrêa
Cquote1.png Sem ele a gente não vencia Cquote2.png
Moto Club sobre Sampaio Corrêa
Cquote1.png Bença paim? Cquote2.png
Sampêia ao Guarany de Sobral sobre si mesmo
Cquote1.png Há!Há!Há! Cquote2.png
Torcedor do moto club sobre Sampaio Corrêa
Cquote1.png Que cores bonitas! Cquote2.png
EMO sobre o timinho bonitinho
Cquote1.png Torcida de Meirdia! Cquote2.png
Arthuzinho sobre Sampanha

Sampaio Corrêa Futebol Clube é um dos mais tradicionais times ruins do pseudo-futebol maranhense. O Sampaio Corrêa, com seu futebol sofrível contribui fortemente para que todo e qualquer nativo do Maranhão venha a torcer para o Flamengo ou Vasco (porque só passa Globo - Campeonato Carioca - nesse estado).

O Sampaio Corrêa é conhecido por suas eliminações relâmpago na Copa do Brasil contra clubes que nem são grande coisa. Disputa com seus rivais Bacabal, Imperatriz e Moto Club, qual tem o nome mais retardado. Tem como principal objetivo tentar empatar com o Moto Club, pois não consegue vencer. Seus torcedores são chamados de bolivianos pela presença de maconha nos jogos, mas os policiais costumam chamar eles apenas de "CALA A BOCA VAGABUNDO", tem como mascote o tubarão, talvez por ele nadar rebolando.

Time tradicional de São Luís do Maranhão, possui incríveis 31 títulos maranhenses, sendo todos títulos de eleitor dos funcionários do clube que sempre votam inteligentemente em Sarney. O Sampaio é apelidado carinhosamente pela pequena torcida maranhense de "Minha Bolívia Querida", devido às cores ridículas de seu uniforme.

O Sampaio Corrêa não consegue ganhar do seu rival, o Moto Club nem no concurso de melhor site, entretanto ficou próximo do título de melhor enfeite de Natal.

História[editar]

Fundação[editar]

Jogadores do Sampaio Corrêa no desfile de carnaval usando suas fantasias.

Fundado em 1922, o seu nome é uma homenagem ao avião boliviano Sampaio Corrêa II, que trouxe a primeira remessa de cocaína da história de São Luís. O time formado por operários, mendigos, cornos e jovens de pés descalços também adotou as cores da Bolívia em seu uniforme, procurando sempre mesclar as cores vermelha, amarela e verde da maneira mais berrante possível para chamar a atenção (porque o futebol não chama atenção nenhuma).

O célebre hino do Sampaio foi composto por Agostinho Reis (1920-1966), e sua gravação original foi interpretada pelo cantor Alcides Gerardi, sob o acompanhamento da Banda da Polícia, dizem que nesse momento 345 mil crianças maranhenses assumiram sua homossexualidade.

Tal qual qualquer atividade esportiva oriunda da Bolívia, o Sampaio Corrêa colecionou derrotas humilhantes e grotescas. Durante sua vasta história de derrotas e humilhações, o seu mais importante jogo foi contra o Flamengo...do Piauí, claro.

O Sampaio Corrêa tornou-se "Campeão Suburbano" ao bater pequenos clubes de marginais. As partidas ocorreram na Rua do Passeio, com a presença de 4 tijolos espaçados pro três passos cada. O gol da vitória no Campeonato Suburbano foi de Lobo (antigo chefe de quadrilha no Maranhão).

Série B de 1972[editar]

O time até se orgulha de algumas glórias irrelevantes, como a fantástica campanha do título da Segundona do Brasileirão de 1972, onde venceu potências da ruindade como o poderoso Guarany de Sobral e seu time formado por cangaceiros, venceu também o poderoso Itabaiana e na final vence o Campinense na cagada. O time memorável era Jurandir, Célio Rodrigues, Neguinho (do pastoreio), Nivaaaaaaaaaaaaaldo, Valdecir Lima, Gojoba, Djalma Campos, Edmilson do Leite, Lima (atual capital do Peru), Pelezinho (filho de Pelé com uma empregada doméstica gostosona) e Jaldemir.

Década de 80[editar]

Durante a década de 80, com o sucesso do filme tubarão e à onda de ataques de tubarões nas praias de São Luís, o Sampaio Corrêa, que não tinha mascote até ali, adota o tubarão como símbolo, mas isso não muda nada, e o time continua perdendo.

Década de 90[editar]

Na década de 90 o Sampaio disputa a famosa campanha invicta da Série C de 1997 onde vence o Santa Rosa do Pará, o Quixadá do Ceará, o Tabajara FC e o poderoso Santos da Guiana na final, se garantindo na série B de 1998 (onde rebaixaria imediatamente, claro).

Disputou também a Copa Conmebol de 1998 (espécie de quarta divisão da Copa Libertadores) tornando-se o primeiro e único time do Maranhão a perder jogos em partidas internacionais, apesar de ter eliminado o Deportes Quindío da quinta divisão da Colômbia foi eliminado na semi-final após tomar uma mega-goleada para o Santos e ter ganho do Atlético Mineiro (um time sem expressão do Brasil) na disputa do terceiro lugar do torneio.

Série C de 2009[editar]

O grande feito do Sampaio Corrêa, foi a façanha inédita de ter sido incrivelmente rebaixado da série C para a série D do campeonato brasileiro de 2009. Simplesmente incrível essa façanha! Ainda mais que no grupo haviam times horrendos como o Águia de Marabá e até mesmo Rio Branco Football Club do Acre.

Temporada de 2010[editar]

O ano de 2010 já começou bem, eliminação relâmpago na Copa do Brasil contra o Atlético Paranaense... Que beleza! Teve que se contentar com o totalmente excelente título maranhense em cima... de quem mesmo? Do Santa Quitéria FC. Tem como comemorar um titulo desses?

Na Série D foi uma merda só, e ficou numa desprezível nona colocação e permanecendo por lá mais um ano.

Temporada de 2011[editar]

Mais um ano de decepção, como sempre. Na Copa do Brasil foi eliminado pelos reservas do EC Santo André de Marcelinho Carioca semi-aposentado. Já na Série D foi eliminado pelo Cuébão EC. E mais uma vez teve apenas que comemorar o minúsculo, desprezível e irrelevante título estadual do Maranhão que ninguém se importa.

Temporada de 2012[editar]

O ano de 2012 foi o ano da redenção do Sampaio Corrêa. Apesar de mais uma eliminação relâmpago sofrida para o Atlético Paranaense na Copa do Brasil, dessa vez além do já previsível título do campeonato maranhense, o time do Sampaio numa campanha impecável sagrou-se o totalmente excelente campeão da SÉRIE D do Brasileirão! O título foi uma bela cagada, e como é de se esperar de uma quarta divisão, os adversários superados foram times desconhecidos do fim do mundo dos maiores confins do Brasil, como o Vilhena EC nas oitavas-de-final e o Mixto EC nas quartas-de-final. Depois ainda superou o Baraúnas.

Na final venceu o falido time junkie do CRAC. O título foi comemorado com muita festa, pois o Sampaio Corrêa sempre adorou ser campeão de coisas toscas.

Temporada de 2013[editar]

Ainda em sua saga de jamais ir longe em Copa do Brasil, foi eliminado logo na primeira fase perante todo o poder e habilidade incontestável do poderoso Campinense. A boa fase do Sampaio ainda ficou mais evidente quando no mero campeonatinho maranhense não ficou nem em vice de tão ruim.

Ninguém sabe como, mas o time foi vice da Série C de 2013, perdendo em casa para o Santa Cruz FC em mais uma grande proeza.

Série B de 2014[editar]

Com uma campanha extremamente irregular, o otimista torcedor diz que quase se classificou para a Série A, mas os realistas sabem que o time apenas jogou para se manter na Série B. Não dá pra dizer que brigou pra não rebaixar porque os quatro últimos estavam incrivelmente péssimos e nem pareciam estar jogando futebol, então foi muito fácil para o Sampaio Corrêa se manter na B. O time prefere nem arriscar tentar subir de divisão, pois sabe que estaria sendo fadado a ser saco de pancadas numa provável série A.

Uniforme[editar]

Lembrar do uniforme do Sampaio Corrêa e ver um jogo desse time é a mesma tristeza...

Torcida[editar]

Graças aos ingressos à preço de banana, o Sampaio Corrêa se destaca por suas boas médias de público, apesar de que metade de seus torcedores são na verdade flamenguistas simpatizantes do Sampaio.

Normalmente, os torcedores só podem ser vistos após uma vitória do clube, por isso estes não aparecem a mais de 20 anos.

Títulos[editar]

Títulos que prestam:

Tumbleweed01.gif

Torneios de merda:

Títulos que são o cúmulo da bosta, que não é possível que alguém se orgulhe disso:

  • Torneio Municipal: 7 vezes — 1947, 1952, 1954, 1955, 1956, 1957, 1964.
  • Torneio Início: 13 vezes — 1925, 1932, 1933, 1935, 1938, 1942, 1949, 1952, 1963, 1964, 1970, 1982 e 1989.
  • Torneio Silvio Santos: 1997.
  • Troféu 30 Anos da Rádio Educadora: 1996.
  • Troféu Presidente Médici: 1993.
  • Troféu Prefeito Jackson Lago: 1992.
  • Torneio Governador Luiz Rocha: 1984.
  • Torneio do Dia do Trabalhador: 1982.
  • Troféu Independência: 1982.
  • Torneio Governador João Castelo: 1981.
  • Torneio Giullite Coutinho: 1981.
  • Taça Vereador José Cupertino: 1977.
  • Taça João Havelange: 1972.
  • Torneio Zoroastro Maranhão: 1972.
  • Torneio Eng.° Lourenço Vieira da Silva: 1972.
  • Torneio da Derrota: 1971.
  • Torneio João Marão: 1971.
  • Torneio da Vitória: 1971.
  • Troféu José Ribamar Araújo: 1970.
  • Troféu Júlio César: 1968.
  • Torneio Ivar Saldanha: 1962.
  • Torneio Carlos F. Diniz: 1962.
  • Torneio da Amizade: 1962.
  • Torneio Quadrangular da Amizade: 1960.
  • Troféu Tenente Alves: 1956.
  • Troféu Indústria F. Meres: 1953.
  • Troféu Major Lieger Braga: 1953.
  • Torneio Centenário de Teresina: 1952.
  • Torneio Intermunicipal: 1952.
  • Taça São Luís: 1950.
  • Taça Nahuz - Dois Irmãos: 1945.
  • Taça Goodyear: 1941.
  • Taça Pordutor Realce: 1940.
  • Torneio Satrunino Bello: 1949.
  • Torneio da Disciplina: 1947.
  • Taça Colônia Maranhense: 1939.
  • Taça Almir Balata: 1939.
  • Taça Moto Club: 1938, 1939.
  • Torneio RCA Victor: 1935.
  • Torneio Bazar das Novidades: 1933.
  • Torneio Caixinha: 1933.
  • Torneio do Povo: 1933.
  • Torneio Tupã: 1932.